IJUSP | LEVY, Edna Garcia
802
post-template-default,single,single-post,postid-802,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,qode-theme-ver-17.2,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

LEVY, Edna Garcia

Título: Tornar-se quem se é: a constelação do self no jogo de areia
Ano: 2007 | Orientador: Zilda M. Paula Machado

Contato do Autor: ednalevy@uol.com.br

Resumo:

O jogo de areia viabiliza uma visão concreta do processo do inconsciente, sendo eficaz tanto como terapia auxiliar do processo analítico quanto como um processo autônomo.
A análise de um processo terapêutico no jogo de areia feita de forma abreviada, tendo como objeto de análise somente o centro dos cenários possibilita alcançar uma visão panorâmica dos estágios do desenvolvimento psíquico. È claramente observável a reordenação da personalidade desde o inicio, o confronto com a sombra, a diferenciação dos opostos e a possível constelação do self.
A união dos opostos é o que se concretiza na caixa de areia e ela assume a função transcendente dentro do processo terapêutico, com o jogo de areia, ao desempenhar o papel de diálogo entre consciente e inconsciente. Trazer para a concretude o mundo inconsciente nos ajuda a alcançar a consciência, reconhecendo a própria condição e possibilitando a realização das transformações necessárias.

Palavras-chave:Jogo de areia-Sandplay, constelação do Self, individuação, centro do cenário, relação ego-Self.




WhatsApp chat