Tornar-se quem se é: a constelação do Self no jogo de areia

capaednadivulgacao

Edna G. Levy                                                                                                                   Armazém Digital, 2011

O Sandplay-jogo de areia viabiliza uma visão concreta do processo do inconsciente, sendo eficaz tanto como terapia auxiliar do processo analítico quanto como um processo autonômo.   A análise de um processo terapêutico no jogo de areia feita de forma abreviada, tendo como objeto de análise somente o CENTRO dos cenários, possibilita alcançar uma visão panorâmica dos estágios do desenvolvimento psíquico. É claramente observável a reordenação da personalidade desde o início, o confronto com a sombra, a diferenciação dos opostos e a possível constelação do Self. 

Por meio do jogo de areia surge uma nova relação do individuo com a sua imaginação e com o seu eu interior, ganha uma nova sensação de seu valor e força, pois literalmente a vê em seus cenários. A união dos opostos é o que se concretiza na caixa de areia e ela assume a função transcendente dentro do processo terapêutico, com o jogo de areia, ao desempenhar o papel de diálogo entre consciente e inconsciente. Trazer para a concretude o mundo inconsciente nos ajuda a alcançar a consciência, reconhecendo a própria condição e possibilitando a realização das transformações necessárias.