Arteterapia e Mandalas: Uma abordagem junguiana

 

Esse livro trata de uma questão fundamental em nossa era: o trabalho interdisciplinar aplicado ao campo da psicoprofilaxia, da psicoterapia e da educação. Observamos atualmente profissionais de diferentes áreas reunidos na busca de perspectivas terapêuticas condizentes com as últimas descobertas científicas, entre essas, aquelas que comprovam a interdependência de fatores psicológicos e orgânicos e a importância da educação formativa na prevenção da saúde geral. Por outro lado, o avanço das ciências da religião permite uma visão aprofundada da função dos símbolos e da religiosidade em diferentes culturas na verificação, por exemplo, dos mecanismos de cura presentes em rituais religiosos. C. G. Jung, um dos mais importantes psiquiatras do século XX, fez uma importante contribuição ao trazer para o campo acadêmico o estudo das religiões ocidentais e orientais. Em especial, seus estudos sobre a expressão artística e sobre a mandala na manutenção do equilíbrio psicológico de pacientes neuróticos e psicóticos abriram novas perspectivas educativas e terapêuticas. As artes ganharam um novo olhar, à medida que se percebeu a função das mesmas na expressão da psique e no desenvolvimento das habilidades cognitivas e perceptivas. As autoras Irene Gaeta e Monalisa Dibo dão prosseguimento a pesquisas nessa área, integrando tradicionais mecanismos de conscientização e de cura na psicologia moderna. O conceito de símbolo é o principal elemento nesse contexto, entendido com o elemento de ligação, como a função que transcende consciência e inconsciente. Sabemos hoje que o caminho da individuação, do tornar-se não-dividido, depende intrinsecamente de nossa habilidade de desenvolvermos essa função.  A aplicação da mandala e da arte como recursos facilitadores desse processo é uma contribuição moderna e fundamental para o desenvolvimento harmonioso do ser humano. E é nesse contexto que esse livro, prático e bem fundamentado, se insere.