IJUSP | MARQUES, Carmen Lúcia do Carmo
818
post-template-default,single,single-post,postid-818,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-17.2,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

MARQUES, Carmen Lúcia do Carmo

Título: Imagens do encontro analítico
Ano: 2007 | Orientador: Áurea Roitman

Resumo:

Este trabalho relata e sistematiza o processo de criação espontânea de um novo clínico desenvolvido em meu consultório.
Atenta ao que minha psique e a dos meus pacientes solicitavam escutei e acolhi as imagens que emergiam do encontro de nossas subjetividades fornecendo ferramentas para que elas encontrassem outras formas de expressão, além da linguagem verbal.
O trabalho consiste em uma pequena caixa de areia e materiais simples como pedras, conchas, gravetos, bolinhas de gude e rastelos. O material, que fica acessível ao paciente para que possa brincar com ele durante a sessão, acompanha e complementa a análise verbal sem alteração do setting analítico. Surgem imagens na areia que provocam e revelam imagens do próprio encontro. Tais imagens com sua força simbólica viva revelam a função transcendente do encontro analítico.
A utilização do trabalho na areia e muitas vezes apenas sua presença no setting, levam através da brincadeira, regressão e conteúdos inconscientes constelados, a atenção analítica para as imagens do corpo sutil que emergem na terceira zona ou espaço intermediário.
Através do trabalho na areia encontrei uma forma própria e rica de perceber e lidar com a transferência e contratransferência, dentro de uma leitura Junguiana.