IJUSP | LABATE, Francisco Gilberto
798
post-template-default,single,single-post,postid-798,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_grid_1300,side_area_uncovered_from_content,qode-theme-ver-17.2,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.6,vc_responsive

LABATE, Francisco Gilberto

Título: A questão dos opostos
Ano: 2009 | Orientador: Áurea Roitman

Contato do Autor: flabate@uol.com.br

Resumo:

O trabalho examina como ocorrem os opostos na psique humana contrapondo-se à lógica aristotélica tradicional, a abordagem filosófica de Heráclito como inspirador da visão inclusiva dos opostos. A análise procura demonstrar a possibilidade de conciliação de opostos no campo específico das relações entre ciência e religião, campos normalmente encarados como de difícil aproximação. Faz-se uma análise da natureza dos opostos, quanto à sua concepção e seus possíveis dinamismos. Registra-se a diversidade de opostos e a função que possam assumir em suas combinações. Estudam-se os opostos do ponto de vista de sua distinção e de sua tensão bem como a possibilidade do movimento dos pares de opostos. Destaca-se a visão de Jung quanto à questão argumentando-se que os opostos constituem pilar de sua concepção de psicologia, examinam-se dois estudos que revelam a possibilidade da convivência entre religião e ciência.

Palavras-chave:opostos, conciliação, tensão, ciência, religião.